PROJETOS

Projeto Olhar de Perto

O Olhar de Perto, realizado há 15 anos em

parceria com a empresa Natubras, atua com

a prevenção às drogas

junto às escolas do município. Servindo como

complemento às ações do Proerd, da PM, o
Olhar de Perto envolve adolescentes e pais na
orientação contra as drogas através de visitas
dos alunos ao Sítio Caminho Novo, além de
palestras nas escolas de Ensino Fundamental
( 9o anos) e Ensino Médio (rede estadual e
particular) e Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

A intenção sempre foi preencher uma lacu-
na ainda existente na orientação de jovens

estudantes sobre a prevenção às drogas no
Município. Entre 2015 a 2019, o projeto foi
uma das ações da Associação premiadas
com o Selo Social, por contribuir com as
ODS E ODM e tendo atendido mais de
2 mil crianças e jovens da comunidade.
O projeto conta com a organização das
visitas internas à comunidade terapêutica,
além das palestras para alunos e para pais

e professores nas escolas estaduais e par-
ticulares, em vários bairros do município,

teatro infantil sobre a prevenção às drogas
e palestras em empresas.

Teatro

A história do Sítio Caminho Novo e o Grupo Teatral Volta do Poço

tem um paralelo, porque as mesmas pessoas que outrora faziam

parte da equipe teatral, até hoje tem uma relação de voluntariado

com a Associação. O grupo retomou seus trabalhos

quandomontou a peça O Cobertor, que contava a história
imaginária de uma pessoa que passou pela instituição.
Foram quase dez apresentações no município, e até
na Faculdade Luterana de Teologia de São Bento do
Sul. A maioria dos atores está junta há 39 anos, com

uma média de 50 espetáculos. Nos últimos anos fo-
ram montadas as peças Síndrome, Quirino o Marido

da Bilica (remontado para o Festival 2020/21). Ainda
montamos as peças O Circo, A turma da Tia Bilica e As
Artimanhas do Zé Droguinha I e II.

Todas as montagens contam com a participação indis-
pensável dos acolhidos do Sítio, que são responsáveis

pelo cenário, figurino, iluminação, montagens e parti-
cipação como atores também. O teatro já faz parte do

programa terapêutico da instituição, tanto que existe
a escola de teatro no Sítio com as professoras atrizes
Adriana e Clotilde e as montagens exclusivas de teatro
bíblico, com apresentações em datas especiais para os
familiares e amigos.

Capacitação 

A Associação Terapêutica Sítio Caminho Novo,

promoveu em parceria com a Escola YesBras, de
Balneário Piçarras, um curso profissionalizante
de eletricista, para seus acolhidos. A iniciativa que faz parte do programa da instituição foi possível graças ao

apoio do diretor da Escola, Odair Mielke que já é um amigo da entidade, e compreende a importância do aprendizado para as pessoas que hoje estão em atendimento
pela Comunidade Terapêutica. Foram três
edições deste curso nos últimos dois anos
e em breve estaremos lançando as nossas
aulas do quarto curso.

Escola Biblica

A Escola Bíblica sempre existiu na Associação. A a entidade é um lar cristão e sempre teve o apoio de pessoas religiosas,
principalmente da Igreja Batista Bíblica, que sempre esteve presente apoiando, seja com orientação, seja financeiramente, em momentos bastante difíceis.
Há 10 anos, surgiu o projeto intitulado
“Nos caminhos do Senhor”, que conta com um material
exclusivo e direcionado ao dependente químico, através
da parceria com a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB). Eles
remetem ao sítio todos os anos um vasto material, com
bíblias, revistas, folders, livretos, etc. Esta é uma maneira

de evangelizar os acolhidos que não conhecem da palavra de Deus.

“A prática da leitura em pequenas doses, muitas vezes é
a única leitura que eles praticam, porque dificilmente se
interessam em outras leituras”, destaca Gilberto Cardozo.
Existem as dinâmicas que os fazem exercitar a escrita.
Através da SBB, em 2019 os internos participaram de
um curso preparatório de outro projeto intitulado Alvoler,
que existe em todo Brasil e tem alfabetizado muita gente.

“Este projeto a gente mantém com o material que ain-
da dispomos e ainda contamos com pessoas preparadas

para ensinar os que precisam e querem”, conclui.